Setor caminha na contramão da economia e continua gerando empregos

Capacitação é fundamental para ocupar vagas no agronegócio (Foto: reprodução)

Segundo a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA, Brasília/DF), os produtos do agronegócio garantiram um saldo comercial no ano passado de mais de 70 bilhões de dólares, além de crescimento de 3%. Por isso, em um contexto de quase 13 milhões de desempregados, o agronegócio surge com diversas oportunidades para setores distintos.
“Ele é o forte pilar que sustenta o Brasil. Mesmo diante da recessão econômica os números são positivos e as oportunidades de trabalho crescem a cada dia. A cada ponto percentual de avanço no setor, notamos que o reflexo é grande. Na cadeia de suprimento do segmento, vários setores são envolvidos até chegar ao consumidor final”, explica o professor do MBA em Gestão Estratégica do Agronegócio do ISAE/FGV, Roberto Jerger Fialkovits.
Além de atividades que envolvem o campo, como aplicação de produtos, consultoria técnica, serviço de armazenamento e transportes, outros profissionais que não são graduados em Ciências Agrárias também encontram lugar no mercado de trabalho no campo. Fialkovits vita como exemplos comércio exterior (para importação de insumos e exportação), direito (elaboração de contratos), profissionais de gestão e recursos humanos. “O mais importante, independente da área de atuação profissional é desenvolver uma boa visão sistêmica de processos do agronegócio, e entender qual a sua efetiva contribuição”, salienta o professor.

Para aqueles que desejam buscar oportunidades no agronegócio, ele pondera: é necessário se capacitar antes de almejar a vaga, seja em cursos de curta duração ou em MBA ou especialização. “O profissional precisa entender o funcionamento do setor e desenvolver uma visão sistêmica de processos, que possa ajudar a entender as fases de início, meio e fim das atividades. O setor é bastante complexo, com muitas ramificações de mercados, produtos e serviços, o que requer uma minuciosa análise por parte do profissional”, orienta o professor.

Uma das áreas destaque é a gestão. Segundo ele, é “indiscutível” a maestria desses profissionais cujo conhecimento prático é o principal pilar. No entanto, o gerenciamento dessas atividades, diz o professor, requer melhorias e capacitação para evitar perdas de lucratividade ao setor. “Preparar profissionais com visão da indústria 4.0, que se desenvolve de forma acelerada em setores que atuam no mercado globalizado também é fundamental”, completa.

Fonte/Créditos: Revista feed&food