Ferrugem pode causar perde acima dos 50%, na produtividade do trigo.

Foto: Reprodução Internet

O plantio da safra 2017/18 de culturas de inverno já começou e o Brasil espera colher cerca de 5,47 milhões de toneladas de trigo, 90% no Sul do País, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Para isso, o produtor deve se atentar ao manejo preventivo de doenças como a ferrugem da folha – mancha marrom ou amarela -, oídio e giberela. A primeira pode acarretar prejuízos acima de 50% na produtividade de grãos.

A incidência de doenças tem sido fator limitante para a manutenção do potencial produtivo nas lavouras de trigo e é um dos maiores desafios dos produtores. Neste contexto, a melhor forma de combater os fungos é por meio do manejo correto e preventivo com fungicidas.

De acordo com Ademir Santini, engenheiro agrônomo e gerente de marketing operacional da Bayer, o agricultor deve fazer a primeira aplicação de fungicida na fase inicial do cultivo, ainda no perfilhamento, e depois refazer a aplicação caso haja necessidade.

“O produtor deve continuar o monitoramento de forma constante na lavoura e, após quinze dias da primeira aplicação e em condições climáticas propícias ao aparecimento da doença (15 a 20 graus com elevada umidade do ar), se necessário, deve repetir a aplicação”, alerta Santini lembrando que para qualquer controle fitossanitário na cultura do trigo devemos seguir as recomendações técnicas da Comissão Sul – Brasileira de pesquisa do trigo.

Fonte/Créditos: Portal AgroLink