Manejo Integrado de Pragas reduziu em 45% aplicação de defensivos na safra 2016/17

Durante a safra 2016/17 os produtores de soja do Paraná reduziram o uso de agrotóxicos nas lavouras de soja do Estado. A constatação foi feita pela Embrapa e pela Emater através de dois estudos: “Resultados do Manejo Integrado de Pragas da Soja na safra 2016/17” e “Monitoramento de Phakopsora pachyrhizi para tomada de decisão do controle da ferrugem-asiática da soja: relato da experiência da Emater-PR na safra 2016-2017”.

O levantamento, que fez o acompanhamento do controle de pragas e doenças nas lavouras de soja do Paraná, mostrou que houve redução de 45% na aplicação de fungicidas na safra 2016/17.

Em áreas em que não se fez o Manejo Integrado de Pragas, a média foi de 3,6 aplicações no Paraná, enquanto a aplicação de inseticidas foi reduzida para 2 aplicações nas áreas assistidas. “Confirma-se mais uma vez que o Manejo Integrado de Pragas é uma prática que orienta o produtor na redução do uso de inseticidas”, explica, em nota, o pesquisador Osmar Conte, da Embrapa Soja.

Além disso, as unidades demonstrativas entraram com a primeira aplicação de inseticidas aos 70 dias, enquanto que na safra anterior havia sido aos 66 dias. “Parece pouco, mas quanto maior o intervalo entre a semeadura e a primeira aplicação, menor o número de aplicações necessárias, menos produto é usado e menor é o custo”, avalia Conte.

Fonte/Créditos: Universo Agro