Unidade é eficiente na contenção, permitindo maior conforto e segurança

Entre os diferenciais da instalação estão o tronco e o apartador hidráulicos (Foto: divulgação)

Viabilizado por meio de parceria com a iniciativa privada, o novo Centro de Manejo Racional de Bovinos de Corte da Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos/SP) tem como objetivo contribuir para o bem-estar dos animais, permitindo desde atividades simples como a vacinação e aplicação de medicamentos até o embarque de forma racional.

A inauguração é realizada nesta sexta-feira (12) em São Carlos (SP). Este é o primeiro do Brasil com tronco e apartador hidráulico e pioneiro na Embrapa; são cinco saídas para os animais em vez de três, como tradicionalmente ocorre, permitindo manejar até 400 animais de forma simultânea. “É importante porque permite uma flexibilidade de manejo interessante, uma separação muito mais precisa dos lotes de animais por peso, categoria ou raça”, explica o chefe adjunto de Pesquisa & Desenvolvimento, Alexandre Berndt.

A nova estrutura atende a Diretriz Brasileira para o Cuidado e Utilização de Animais em Atividades de Ensino ou Pesquisa Científica (DBCA), estabelecida pelo Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Mctic).
O novo centro de manejo é mais eficiente no processo de contenção, permitindo mais conforto e segurança aos empregados e bem-estar ao animal, pois as instalações são arredondadas e circulares, o que reduz o estresse dos bovinos. “O gado não vê o fim do corredor, então ele caminha tranquilamente. Também são inexistentes pontas e arestas, o que evita que o animal sofra lesões”, explica o chefe adjunto de Administração, Marco Aurélio Bergamaschi.
O princípio que orienta o manejo racional de bovinos de corte é o conhecimento e o respeito aos animais para melhoria do seu bem-estar, propiciando também melhores resultados econômicos pelo aumento da eficiência do sistema de criação. De acordo com Berndt, vários projetos de pesquisa vão se beneficiar dessa estrutura, todos os projetos de gado Canchim, os projetos do sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e os projetos do confinamento, enfatizando que o novo complexo é o que há de mais moderno no mercado atualmente em termos de manejo racional em pecuária sustentável.

Fonte/Créditos: feed&food