De acordo com Marcelo Zanchi, diretor de Marketing Brasil da Arysta.

Foto: Reprodução Internet

De acordo com Marcelo Zanchi, diretor de Marketing Brasil da Arysta LifeScience, a utilização de controle biológico de pragas e doenças é o caminho natural da agricultura. “O uso mais sustentável com a associação de tecnologias de agroquímicos com fisioativadores e produtos biológicos é o futuro não apenas para o controle de pragas e doenças na agricultura, mas também para a qualidade do alimento que chega à mesa do consumidor final”, sustenta o executivo.

Zanchi afirmou, durante o painel “Controle Biológico de Pragas e Doenças”, na ESALQShow 2017, que o controle biológico é “fundamental, especialmente porque a sociedade demanda produtos mais sustentáveis, com menos resíduos e mais amigáveis ao meio ambiente”. O evento ocorreu na semana passada no Campus da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, da USP (Universidade de São Paulo).

“Não visamos apenas o desenvolvimento de soluções que ajudem o agricultor a elevar sua produtividade. Vamos além. Nosso foco é contribuir decisivamente para melhorar a qualidade, a segurança e o valor nutricional dos alimentos levados às nossas mesas, reduzindo os impactos ambientais e gerando valor para toda a cadeia produtiva”, defendeu o diretor de Marketing Brasil da Arysta.

Para o executivo, “é preciso saber como integrar todos esses controles de maneira a contribuir não somente com o aumento da produtividade, mas fazer com que o agricultor tenha redução de custos por unidade produzida […] Acreditamos na adoção dos biodefensivos e na integração de soluções de maneira sustentável e eficiente. Também destacamos a relevância da ESALQShow em termos técnicos, pelo alto nível dos participantes e pela própria importância da ESALQ, como instituição de educação, pesquisas e fomento de novas tecnologias”.

Fonte/Créditos: Portal AgroLink