Objetivo é ampliar, de forma sustentável, o uso de irrigação no país, que hoje alcança menos de 7 mi de hectares

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) lançou nesta terça (20) a Comissão Nacional de Irrigação durante o 8º Fórum Mundial da Água. O presidente da CNA, João Martins, e o secretário de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Odilson Silva, assinaram a portaria no espaço do Sistema CNA/SENAR/ICNA no evento.

“A CNA vai fazer tudo que for necessário para que a irrigação no Brasil, que significa menos de 7 milhões de hectares, possa a médio prazo dobrar a área irrigada”, afirmou Martins.

De acordo com o presidente da CNA, uma comissão específica de irrigação será importante para o momento que o setor está vivendo.

“O Brasil vem se destacando cada vez mais como grande produtor de alimentos e o mundo quer que o País responda à demanda daqui até 2050. Então, resolvemos nos profissionalizar mais e focar em irrigação”, completou João Martins.

A Comissão Nacional será composta por CNA, federações de agricultura e pecuária e associações de irrigantes. Vai atuar como ponto focal de discussões das ações, políticas e posicionamentos do setor sobre o uso da água para a agropecuária. O trabalho será feito diretamente nas discussões no Conselho Nacional de Recursos Hídricos, no Executivo e no Legislativo.

“O Brasil é o sexto maior país do mundo com irrigação e tem potencial para ser muito mais. Precisamos explorar esse potencial de forma sustentável para melhoria da produção e maiores ganhos para o produtor rural brasileiro”, destacou o secretário do Mapa, Odilson Silva.

A Comissão Nacional de Irrigação será presidida por Eduardo Veras, que também é vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (FAEG). Na sua avaliação, um dos fatores para o Brasil ampliar a área irrigada é reconhecer os barramentos de água como utilidade pública e de interesse social.

“Precisamos transformar isso em uma vantagem competitiva, já que em diversos estados do Brasil temos o índice pluviométrico de até 1.500 milímetros como o estado de Goiás. Com isso, podemos ampliar a irrigação de forma sustentável e diminuir o uso competitivo com os outros setores”, explicou.

Veras reforçou que o País tem potencial para alcançar, no curto prazo, 21 milhões de hectares irrigados. Do total de 75 milhões de área plantada hoje no Brasil, a irrigação é utilizada em apenas 10%.

A comissão da CNA pretende trabalhar para que os temas ligados à irrigação, atualmente sob a responsabilidade do Ministério da Integração Nacional, sejam transferidos para o Ministério da Agricultura. O foco é transformar a irrigação em política pública para o desenvolvimento do setor agropecuário.

Fonte/Créditos: Portal DBO